Eu era um fotógrafo medíocre, até que descobri que os 3 pilares da exposição não servem para nada. Saiba por que a informação de ISO, tempo de exposição e abertura não vai te ajudar se você não tiver raciocínio fotográfico.

O paradoxo dos 3 pilares da exposição

É muito comum que, quando eu publico uma foto ou vídeo sobre uma técnica fotográfica, alguém sempre me pergunte quais as configurações de ISO, tempo de exposição e abertura que eu usei.

Até mesmo alguns fotógrafos profissionais já publicam os seus trabalhos com essa informação, também chamada de Exif, sigla em inglês para Exchangeable image format.

Se você já me acompanha a algum tempo, vai perceber que eu raramente divulgo o Exif das minhas fotos, a menos que isso seja extremamente necessário.

E o motivo é muito simples: os 3 pilares da exposição não servem para nada se você não desenvolver o raciocínio fotográfico.

O Exif não é uma receita de bolo que você pode repetir na sua câmera com a garantia de que sua foto vai ser um sucesso. É a etapa final de uma coisa que eu chamo de raciocínio fotográfico.

De nada adianta saber os valores de ISO, tempo de exposição e abertura se você não entender o raciocínio fotográfico que levou o fotógrafo a tomar aquela decisão.

Além do Exif, veja o que mais você precisa saber para entender o resultado de uma foto:

  • Quantas fontes de luz foram usadas na foto?
  • Se foi usado algum modificador de luz, qual o tamanho?
  • Qual a distância entre a fonte de luz e o assunto?
  • Foi usado flash? Se sim, qual o número guia?
  • Qual era a relação de contraste entre as fontes de luz?
  • Qual a relação entre distância, comprimento focal e abertura foi usada para controlar a profundidade de campo?

Vamos avaliar um exemplo

Nas duas fotos abaixo, temos em comum que foi usado o mesmo diafragma:

foto com plano de fundo desfocado. Diafragma F/8
Foto com todos os planos em foto. Diafragma F/8

Note que na primeira foto o plano de fundo ficou completamente desfocado.

Já na segunda foto, todos os planos estão em foco.

Se tivéssemos apenas a informação do Exif, não seria possível entender essa relação de profundidade de campo. Mas, se além dos 3 pilares da exposição se você soubesse também o comprimento focal da objetiva usado em cada foto, saberia responder como foi possível obter esse resultado.

Na foto da modelo foi usado comprimento focal de 105mm. Já na foto do ambiente foi usado comprimento focal de 10mm.

Com um comprimento focal de 10mm, a distância hiperfocal para a abertura F/8 é de apenas 67cm, ou seja, tudo o que estiver além dessa distância estará em foco (levando em conta uma câmera com sensor APS-C).

Já com o comprimento focal de 105mm a uma distância de 2 metros, você tem apenas 10cm de profundidade de campo para a abertura F/8 e a distância hiperfocal passa para 70 metros.

Conclusão

Vimos aqui que os 3 pilares da exposição não servem para nada se você não tiver raciocínio fotográfico. Não basta saber somente as informações de ISO, tempo de exposição e abertura para se obter uma boa foto.

É necessário raciocinar sobre os padrões de iluminação, relação de contraste, profundidade de campo e muitos outros fatores para se chegar a um resultado.

Compartilhe

Leave a Reply

Your email address will not be published.