O fotômetro Sekonic tem a função de medição em EV (valor de exposição)

O Julio Cezar almeida assistiu o nosso vídeo no Youtube e perguntou:

Qual a função do controle EV no l 308 S?

Julio Cezar Almeida

Para responder a essa pergunta, precisamos voltar no tempo e entender como era feita a medição da luz nos tempos da fotografia analógica.

Lumens e Lux – unidades de medida de luz

Imagine uma lâmpada incandescente de, por exemplo 70 Watts de potência. Sabemos que potência é uma taxa de conversão de energia. Portanto, ela consegue converter energia elétrica em luz (e calor) a uma taxa de 70 Joules por segundo.

Mas, quanta luz essa lâmpada consegue irradiar? Para quantificar o fluxo luminoso, ou seja, o brilho da lâmpada, usamos o Lumen, uma unidade de medida do Sistema Internacional.

Na tabela abaixo você pode ver alguns modelos de lâmpada e sua intensidade em Lumens:

Brilho (Lumen)IncandescenteHalógenaLFCLED
9012-15 W1W
27025W18W5-6W3W
36030W25W7-9W4W
45040W35W9-13W6-9W
80060W42W13-15W8-12W
110075W18-23W13-15W
1600100W70W25-30W16-20W
2600150W30-52W25-28W

Já a iluminância é a grandeza que define como a luz se distribui em um ambiente, e é dada em Lux. Um Lux equivale a um Lumen por metro quadrado.

Para medir a iluminância de um ambiente usamos um instrumento chamado Luxímetro.

Luxímetro analógico

Mas, o que tudo isso tem a ver com a fotografia?

Fotometria analógica

A partir da medição de luz de um luxímetro, o fotógrafo sabia qual era o fluxo luminoso de um ambiente.

Sabendo qual era a sensibilidade do filme, o fotógrafo podia determinar quais eram os valores ideais de diafragma e tempo de exposição para uma fotometria correta, usando uma tabela como esta:

TABELA DE EXPOSIÇÃO EM LUX (PARA ISO 100)

Com o tempo, os fotógrafos perceberam que algumas cenas seguiam um padrão e tinham o mesmo fluxo luminoso. Então, para facilitar, criaram a escala de Valores de Exposição, com a unidade em EV que conhecemos hoje:

EVExemplo
0Ruas muito escuras, becos
1Ruas pequenas
2Ruas médias e skyline de cidades
3Avenidas e monumentos
4Avenidas muito iluminadas
5Anoitecer
6Evento mal iluminado
7Evento medianamente iluminado
8Evento bem iluminado
9Grandes feiras de negócios
12Dia nublado pré-chuva
16Dia nublado
17Dia parcialmente nublado
18Dia de sol
19Sol aberto no verão, praia ou neve

Por causa dessa escala padronizada era possível prever a exposição para determinada situação de iluminação, como a bem conhecida regra Sunny 16.

regra Sunny 16

Em resumo, primeiro o fotógrafo fazia a medição da cena em EV’s e depois, baseado na sensibilidade do filme, determinava qual a melhor combinação de diafragma e tempo de exposição a partir de uma tabela com esta:

tabela de valores EV (para ISO 100)

No vídeo abaixo , feito pelo Antônio Neto do canal Câmera Velha, você pode ver como era feita a fotometria a partir de um fotômetro analógico:

Fotometria com fotômetro analógico

O EV na câmera digital

Já nas câmeras digitais, o fotômetro interno possui uma escala em EV’s que é relativa ao padrão cinza médio.

Ou seja, se o fotômetro da câmera indica EV 0, quer dizer que a cena tem brilho igual ao cinza médio. Valores positivos indicam uma cena mais clara. Já os valores negativos indicam uma cena mais escura que o cinza.

fotômetro de uma câmera digital

Fotômetro Sekonic e a medição em EV

Agora que entendemos toda a teoria por trás dessa medição, podemos concluir que o fotômetro Sekonic faz a medição primeiro em EVs e, a partir dessa medição, faz os cálculos do diafragma baseado no tempo de exposição e sensibilidade ISO informados.

Como essa medição em EV’s é necessária, o fotômetro Sekonic disponibiliza este valor ao usuário no modo de medição de luz contínua. Dessa forma, você pode usar a tabela de EV’s para calcular a combinação de diafragma e tempo de exposição necessários para cada valor de sensibilidade ISO.

Medição em Lux para o fotômetro Sekonic L308-X

Se você tem o modelo de fotômetro Sekonic L308-X, ele possui uma função adicional, que é a medição em Lux ou em pés/candela. Para habilitar essa função siga os passos abaixo:

Medição de fluxo luminoso no fotômetro Sekonic L308-X

  1. Entre no modo de configuração personalizada

    Desligue o fotômetro e, em seguida pressione o botão Mode. Com o botão Mode pressionado, ligue novamente o seu fotômetro.

  2. Selecione a unidade de medida

    Com as setas para cima e para baixo, selecione o modo CS3. Pressionando o botão Mode você altera a unidade entre NONE (nenhum), L (Lux) ou FC (pés/candela)

  3. Selecione o modo de vídeo

    Como as setas para cima e para baixo, navegue até a opção CS1. Pressione o botão Mode para selecionar o modo de vídeo (Hd_C) e reinicie o seu fotômetro Sekonic L308-X.

  4. Ative a medição de fluxo luminoso

    Pressione o botão Mode para alternar entre o modo de fotometria convencional, a taxa de quadros por segundo do vídeo (f/s) e o modo de medição de fluxo luminoso. No display vai aparecer a unidade selecionada L (lux) ou fc (pés/candela).

  5. Faça uma medição

    Aponte a luminosfera para a fonte de luz e pressione o botão de medição para obter a leitura.

Conclusão

Vimos aqui que a função de medição em EV’s do fotômetro Sekonic tem por objetivo gerar um valor de referência para ser consultado em uma tabela onde é possível determinar o diafragma e o tempo de exposição, baseado na sensibilidade ISO utilizada.

Assista ao nosso vídeo no Youtube

Se quiser entender melhor sobre as unidade de medidas de luz, acesse este site:
https://www.powerlume.com.br/lumen-candela-e-lux-conceitos-basicos/

Compartilhe

Leave a Reply

Your email address will not be published.